manual do sofrimento silencioso

descobri há poucos dias que tenho pós-doutorado em fazer as pessoas acreditarem que minha vida é linda quando ela está uma merda. talvez seja uma adaptação das minhas atitudes para não fragilizar ainda mais o que já está em caquinhos. se você está em 2012, vivendo no mesmo mundo que eu, sabe que é mais fácil alguém sapatear em cima do que aparecer com um tubo de cola.

foi assim que eu fiz, por exemplo, com que algumas pessoas acreditassem que eu REALMENTE estava de férias logo depois do dia profissional mais triste da minha vida, em que eu levei um pé na bunda da empresa e passei cerca de 72h chorando.

no momento estou passando por outro dia ruim, mas com outro tema, outros personagens e dois prováveis fins, que poderiam ser um episódio do você decide, se o programa não tivesse sido extinto ou se eu não fosse de gêmeos. enfim.

1 – sofra

você não vai ter muita saída. se seu ar acabar, puxe uma das mascaras que a vida automaticamente irá disponibilizar sobre sua cabeça. se seu estômago embrulhar, pense que é um presente. se sua cabeça girar, vire pro lado contrario. da próxima vez que alguém cantar pra você uma música sobre uma casa muito engraçada, sem teto e sem nada, preste atenção no que te espera quando tirarem seu chão.

2 – cale

se você precisa de amor extremo, procure um psiquiatra ou compre/adote um cachorro. se vocêjá passou dos 20 anos e consegue lidar minimamente com seus próprios sentimentos, escolha ficar quieto em vez de sair choramingando abertamente em suas redes sociais. pesquisas de algum universidade inglesa, caso estivessem estudando esse assunto, afirmariam que uma pessoa com mil amigos no facebook deve ser acompanhada por cerca de 20 pessoas que de fato se importam com o que ela sente. do restante, 10 vão sentir satisfação em te ver sofrer, 112 não vão nem ler porque deram unsubscribe nos seus posts e todo o resto você adicionou por motivos de amigo do conhecido do parente do professor de inglês que absolutamente não se importam com seus problemas.

3 – fale

mas só com quem precisa ouvir. sabe esses 20 negos que se importam? procure diretamente por eles. ligue, mande um telegrama, uma carta de amor, vá até eles. são essas pessoas que vão aparecer na sua casa com potes de sorvete, que vão te levar pra gritar em uma pista de aeromodelismo, que vão te dizer que tudo vai ficar bem mesmo quando eles mesmos não tem a menor convicção disso.

4 – supere

se você nunca sofreu, parabéns. se você sofreu apenas uma vez na vida, também. se você é um ser humano normal, supere. essa não foi a primeira vez e não vai ser a última. qualquer pessoa que tentar convencê-lo do contrário quer apenas um emprego como roteirista de novela.

5 – escolha

se todo mundo é uma soma das coisas que viveu e das pessoas que conheceu, exercite sua capacidade de filtrar o que você vai levar de cada coisa que passou e do que cada pessoa resolveu te dar pra levar pro seu eu de amanhã. não é porque alguém resolveu te presentear com um saco de merda que você precisa congelar a vácuo pra esfregar na sua cara – ou na dela – depois.

6 – siga em frente

ou ande pros lados, se preferir. whatever sua visão periférica permitir.

Advertisements
This entry was posted in Uncategorized. Bookmark the permalink.

1 Response to manual do sofrimento silencioso

  1. eu acho que vc deveria falar (ou escrever, mesmo que seja nas redes sociais) sempre, porque vc costuma fazer isso muito bem. Saudade de “Voce Decide”! Obrigada ela lembrança! ❤ amo suas palavras!

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google photo

You are commenting using your Google account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s